sábado, junho 16, 2007

A JANELA EM LÂMINA

vai insuflar serões com machos
nas casernas aparta
os feijões brancos dos rojados. Um úbere
tenso espera-te
em Sinai !

Língua anti-aérea lateja em toda
a península e Leticia abrem-se

Cascos de burra e urso marcam o lajedo
molhado: cárcere?

Contentamento móbil da pop
ulaça asperge em sovaco o mórbido e soalhoso da cárie

bufa em estertor e abafa-te em flanela
porque não
goteja de caruncho;

qualquer coisa como sintoma...,
baunilha sacara bastante ao nojo !

Ao açucarado felino realço o gânglio
do medo
insubordino o dado
porque não

Lantejoulas e cuecas tudo se vende
e tu
já pensaste na tua casa?

Aurelino Costa

Do livro: Na terra de Genoveva

2 comentários:

Anónimo disse...

Aurelino tan esplendido coma sempre!!
noraboa polo voso libro!!
saudos

Cruz disse...

Estou de acordo contigo amigo anónimo
Agradecida
Un saúdo